Profissionais do Magistério definem reivindicações da Data-base 2022 em assembleia online

No dia 18 de janeiro, dezenas de profissionais da educação participaram da primeira Assembleia Geral Extraordinária online Data Base 2022.

A assembleia iniciou às 15h 30 min, com duração de mais de 4 (quatro) horas,  os profissionais do magistério tiveram a oportunidade de discutir e apresentar suas argumentações em relação as propostas apresentadas que foram construídas a partir das sugestões da própria categoria, demandas diárias, que fazem parte do contexto da função no dia a dia.

Os profissionais da educação debateram e aprovaram 14 (quatorze) propostas, dentre essas propostas se encontram não somente proposições financeiras, mas também propostas de valorização do profissional e da educação, administrativas e pedagógicas.

Dentre as propostas, os profissionais da educação defenderam a lei do piso salarial nacional e o reajuste de 33,23% conforme destaca CNTE : a Portaria Interministerial MEC/ME nº 10, elevando o Valor Aluno Ano do Ensino Fundamental Urbano do FUNDEB de 2021 (VAAF-Min) e o Piso Salarial Profissional Nacional do Magistério é calculado com base no crescimento percentual dos valores mínimos do FUNDEB de dois anos anteriores, o valor para 2022 será de R$ 3.845,34, com crescimento de 33,23% frente ao valor de 2020.

Outros itens também foram aprovados, tais como Cartão Alimentação no valor de R$500,00, regularização de percentual para progressão por graduação, pós graduação lato sensu e stricto sensu (mestrado e doutorado, bolsa internet, melhoria na infraestrutura tecnológica internet e equipamentos) nas escolas da rede, dentre outras.

A presidente do Sindicato, Dulcinéia Costa acredita que o poder executivo pode dar um reajuste salarial muito maior que o índice do INPC de 10,16% e também defende que os profissionais do magistério não podem abrir mão da lei do piso salarial nacional, uma conquista que assegurou melhor remuneração aos profissionais do magistério tendo por base o aumento do VAAF desde 2010, além do que profissionais do magistério já tiveram seus salários básicos igual ao piso salarial nacional integral de no mínimo 40 horas para 24 horas  semanais, se os trabalhadores do magistério não ficarem atentos e se mobilizarem perderão esse direito – O salário básico municipal vem sendo achatado nos últimos anos, aplicando apenas reposição salarial do índice inflacionário que é constitucional, a pandemia mostrou o quanto o professor é importante, agora, é necessário a administração reconhecer o seu valor e o trabalhador lutar para não perder conquistas vindas da luta da categoria.

A assembleia foi mediada pela professora Marcela Dâmares, coordenada pela diretora presidente do Sindicato, Dulcinéia Costa e contou com a participação do presidente da FESERVMINAS, senhor Hely Aires da Silva. A assembleia foi gravada e está arquivada.

Quem não luta por seus direitos não é digno deles.” Rui Barbosa

Para fazer download da ata da assembleia on line:

Download do arquivo encaminhado para a Prefeitura de Pouso Alegre:

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s